Quando o custo marginal de produzir algo tende a zero, a melhor estratégia é ofertá-lo de graça antes que a concorrência o faça. Isso seria possível no ambiente off-line ou o freemium funciona apenas como tática de marketing nesse ambiente?

Deixando de lado o modelo de negócios “com a presença de grátis intrínseca ao produto” e passando para estratégia de marketing utilizando o “grátis”, temos cases de sucessos desde o século XX.

Como exemplo podemos citar a Gillette, que no livro de Anderson (Free – The Future of a Radical Price) é abordada como uma das pioneiras na estratégia de usar produto grátis como isca.

Continuar lendo